11 dezembro 2013

para breve, o regresso.

( stay tuned )

a duração das noites como um excesso que não esbate a nitidez : acelera as partículas onde se movem o tempo mostrado na chuva reflectida em cada braço de árvore que filtra o sol e o murmúrio dos rios para o abraço das cidades nas paisagens transformadas - em teatros em chamas e submersas nos sentidos à deriva que apenas capturam a interminável projecção dos limites da rendição.

12 fevereiro 2013

( CLOSED )




OBRIGADO

( )


"De repente a noite rasga-se e surge uma praia
em que os corpos estonteados acordam
a boca encostada ao mar superior que folheia
o ar que a respirar obriga e bate e canta."

Manuel Gusmão









16 janeiro 2013

até as sociedades mais primitivas admitem os seus loucos 2013.01.16

(c) CM
" ao cimo do jardim no topo
de todas as hastes do jardim é
como se explodisse uma praia.
ou como se rodando sobre si mesmo
e subindo, em cima, o jardim
expirasse uma praia que se abre.
e então na mínima ondulação
dessa praia, no alto da explosão,
é um jardim terrestre que vai
começar a aparecer. que recomeça"
( manuel gusmão )


01 The Apartments - Mr. Somewhere  
02 Agitated Radio Pilot - Your Turn To Go It Alone
03 Swell - What I Always Wanted
04 Woven Hand - Sinking Hands          
05 Liminanas - Salvation          
06 Jesse Sykes & The Sweet Hereafter - Love Me, Someday
07 Thinguma*jigsaw - What Does Remain?
( para guardar em mp3)

Não importa o caminho que fazemos, é do mundo:
falta-lhe sempre a impressão de imagens em fuga.
a captura de reflexos é um domínio que o espaço não determina.
absorvidas as memórias, num decalque de espanto
que não implica o abandono de sonhos e o esquecimento de colheitas de sol,
alinham-se mudanças nos ecos que levam a insistência
aos espelhos de matérias da invenção de estados de limpidez.


13 janeiro 2013

a um mês do ano IV ( o último )

















(c) www.magnumphotos.com


Estátuas irrompendo da terra, que tumulto absorvem?
Os cabelos resplandecem.
Os símbolos que celebram dão à pedra uma tensão,
um
desenvolvimento, uma aura.
Em cada uma delas eu abraço uma estrela.
Abraço-a ponta a ponta das mãos
numa só massa transpirada.
Arrebata-me, calcina-me.
O chão é a potência astronómica.
No escuro do ar rebentam floras.
A carne única vibra como uma vara de baixo para cima. 

Herberto Helder